4 de dez de 2013

DICA OMO: Qual é a atividade certa para seu filho?

4 de dez de 2013
Com o passar dos anos, é normal que seus filhos se interessem por alguma atividade extraescolar, seja porque é o que um amiguinho da escola faz, ou por querer imitar o seu herói favorito. Seja qual for o motivo dele, atividades fora da escola são um ótimo momento para socializar e aprender algo novo. Isso também é um alívio para os pais, que não querem ver os seus filhos crescerem em frente à televisão, mas que  querem que conheçam uma gama de opções que o mundo tem a oferecer.


Quando seus pequenos sabem a qual tipo de atividade eles querem se dedicar, como futebol,  artes marciais ou ballet, o único desafio que a mãe possui é escolher uma instituição onde eles possam praticar tais atividades com segurança e qualidade. Também vale prestar atenção nos detalhes mais práticos como se a atividade é perto de casa, se os horários são fáceis de ir buscá-los e levá-los, ou se for em um clube por exemplo, se as crianças poderão ficar brincando por lá até que você saia do trabalho.

Mesmo que você queira que o seu filho pratique alguma atividade no período em que não tem aula, é bom deixá-los escolher, mas você pode guiá-los para encontrar uma prática que realize seus desejos. Abaixo estão algumas atividades que normalmente despertam o interesse das crianças.

• Pintura:

Aulas de pintura ou desenho permitem que seu filho use suas habilidades manuais e sua criatividade, transformando ideias e suas percepções da realidade em quadros ou figuras. As aulas de pintura e desenho ajudam no desenvolvimento motor e combinam com crianças menos agitadas, e que possuem mais concentração. Apesar de não envolver grandes esforços físicos, elas permitem que as crianças desenvolvam um talento nato ou que aprendam e consigam produzir trabalhos de boa qualidade. Antes de inscrever em seu filho em uma aula de pintura, é importante saber em que nível é a classe, pois se os colegas já estiverem aptos a desenhar bem é bem possível que seu filho se  sinta frustrado em suas primeiras tentativas e desista do curso. Uma boa dica é: o tamanho do desafio não pode ser maior do que a criança está pronta para enfrentar.

• Lutas marciais:

Assim como o videogame, muitas pessoas atribuem às lutas marciais a origem de um comportamento agressivo. Mas quem pratica judô, kung-fu, karatê e até mesmo a capoeira sabe que a luta requer muita disciplina, e que para mudar de faixa é preciso treinar bem. Os mestres destas lutas sempre passam, junto com a atividade física, alguns ensinamentos sobre essas lutas, que açambarcam questões como o respeito, a cidadania, o saber tradicional e até as mitologias dos antigos praticantes da luta. Se seu filho quer ser um kung-fu (panda) ou um karatê (kid) não se preocupe muito: procure uma boa escola, converse com o instrutor e você saberá que seu filho estará praticando exercícios ao mesmo tempo que formando o caráter. 

• Teatro:

As aulas de teatro infantil não só contribuem para um bom desenvolvimento verbal e para a comunicação de seus pequenos, mas também permite que as crianças mais ativas gastem sua energia (o que é muito bom, pois ele vai chegar em casa calminho) em uma atividade onde elas podem se expressar bastante e interagir com outras crianças. Além disso, é uma oportunidade muito boa para crianças agitadas pois elas terão que se disciplinar para o bom funcionamento do espetáculo.

• Dança:

Independentemente de qual tipo de dança seus pequenos querem se dedicar (ballet, jazz, sapateado ou até mesmo street dance), esta prática também contribui para um bom desenvolvimento motor de seus filhos. Além disso, assim como os esportes mais comuns, a dança é um grande exercício físico que requer muita sintonia e perfeição. Para crianças ativas que estão constantemente dançando e correndo pela casa e parecem não ter vergonha de mostrar seu talento frente às visitas, é uma ótima oportunidade de explorar suas habilidades através da dança.

Em um mundo ideal, as crianças seriam sempre capazes de saber e escolher o tipo de atividade a qual elas gostariam de se dedicar. No entanto, quando elas demonstrarem dificuldades em se nortear quanto a este aspecto, você como mãe precisa ajudá-los a fazer a escolha certa. Para isso você pode levar o seu filho para fazer uma aula experimental das atividades que você acha que vão despertar o interesse dele, aí ele poderá escolher qual ele mais gostou. Conhecer os prós e contras de cada atividade, assim como associá-las à personalidade de seus filhos também contribuirá para uma boa escolha.


Jardineiras fiquem por dentro das dicas da OMO!


Site Omo

Twitter

Facebook Omo

4 Comentários:

  1. É bom ensinar eles a gostar de alguma atividade enquanto eles são pequenos, atividades fazem muito bem para eles ótimas as dicas, passando pra desejar uma ótima quarta-feira beijos.
    http://www.lucimarestreladamanha.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lucimar!
      Acredito que qualquer 'hora' é hora de aprender.
      Mas é interessante começar desde pequeno.
      Um beijo :*

      Excluir
  2. Como é interessante a preocupação q a Empresa OMO tem em relação à conduta das crianças, informando sempre de como brincar com ela. Acredito muito que os pais estão sempre a procura de alternativas para melhorar o desempenho de seus filhos e lendo esse artigo percebo muitas dicas. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Realmente a OMO tem um cuidado especial com seus consumidores, desde que soube deste belo trabalho da empresa, tenho vista a marca com outros olhos!
      Que bom que o artigo lhe ajudou :D
      Volte sempre!

      Excluir

Quando você socializa, contribui para enriquecer o texto. Obrigada!
( Respondo seu comentário sempre por aqui ).

 

Diário de Jardineira Todos os Direitos Reservados 2013 Carolina Rodrigues